sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

PROMOTORIA DA SAÚDE DE NATAL DISSE QUE NÃO PODE FAZER NADA EM RELAÇÃO AO PONTO ELETRONICO.

Há alguns dias nos reunimos com a Secretária de Saúde de Natal, para tratar de um caso de assédio moral.
Na oportunidade, abordamos a problemática do ponto eletrônico, que em nosso ver está prejudicando a Produção dos ACE e ACS.
A pedido do MP protocolamos um ofício com vários argumentos e documentos, que comprovam que a Gestão tem autonomia de deixar os ACE e ACS fora do Ponto eletrônico.
Antes da reunião com SINDAS/RN e uma comissão de agentes, a Promotora ouviu a SMS, e pelo desenrolar da conversa ficou claro, que o MP nada vai fazer para excetuar os agentes do Ponto.
Alegamos tudo que envolve esse problema e comprovamos que a produção e os trabalhadores estão sendo prejudicadas com as idas e vindas para bater o ponto. Sobre isso a promotora foi clara:
“A SMS e SINDAS devem discutir saídas para otimizar o processo de trabalho, criar regras de justificativas no ponto e quando não der para bater o ponto usar o bom senso”.
Outra coisa importante dita pela Promotora, foi que os agentes não devem se preocupar com número de visitas, porque todos trabalham por carga horária.
Sendo assim companheiros, fica claro que o que vale mesmo é cumprir a carga horária, seja com muita ou pouca produção.

Não desistiremos e iremos até o fim com essa questão, porque estamos preocupados com o que tanto a SMS como o MP/RN deveriam se preocupar, que é com a assistência à população. Indiscutivelmente o ponto está prejudicando o atendimento ao povo que precisa.

Nenhum comentário: