sexta-feira, 28 de abril de 2017

A DOR PODE ATÉ PASSAR, MAS AS LEMBRANÇAS FICARÃO PARA SEMPRE E SERVIRAM PARA PROMOVER MUDANÇAS

Nos últimos trinta dias, a família SINDAS/RN perdeu três de seus componentes, que se atreveram nos deixar e desfalcar nosso exercito de servidores públicos, para compor o exercito de Deus.
Primeiro a nossa amiga Gorete ACS do Bairro Nazaré, segundo nosso amigo ACE Diógenes do Distrito Norte II, e em seguida, a nossa amiga ACE Milena do Distrito Oeste.
A dor de perder duas amigas e mais um grande amigo, nos faz refletir sobre a importância de amarmos e respeitarmos mais o nosso próximo. Respeitar sem fazer julgamentos, sem discriminar, sem apontar o dedo, sem fazer brincadeiras de mal gosto, e acima de tudo, sem lhes atribuir adjetivos e qualidades alheias a sua vontade.
Nós convivemos mais tempo com os colegas de trabalho, do que a própria família, por essa razão, a nossa relação com os colgas deve ser de respeito mutuo, afinal de contas, além de problemas de saúde, não podemos saber se naquele dia a pessoa está sofrendo por algum problema e uma simples brincadeira pode leva-lo ao desequilíbrio total.
A morte do nosso amigo Diógenes, que cometeu suicídio por enforcamento, despertou um problema antigo que fere e machuca muitos servidores públicos.
Diante dos relatos da família, principalmente da filha que era amiga, confidente e a caixa de ressonância das dores do pai, ficou claro para mim, que alguns seres humanos precisam voltar a ser humanos, do contrário, muita gente continuará a sofrer por culpa de pessoas que não aceitam as diferenças do outro, e por isso, discriminam, humilham, soltam piadinhas de mau gosto, caluniam e difamam, atitudes que lenta e dolorosamente podem matar o ânimo de viver de quem é simplesmente HUMANO.  
O SINDAS através do Presidente que vos fala, recebeu de Diógenes a nobre missão de criar um programa que terá o objetivo de evitar mais sofrimentos e até mortes de colegas ACE e ACS, que sofrem com depressão, transtorno bipolar entre outras doenças, e ainda, são obrigados a conviver com atitudes irracionais e desumanas no local que deveria ser o mais agradável do dia dia.
Em Natal já estabeleci o diálogo com Secretário Luiz Roberto e ele nos deu total apoio. Agora é colocar em prática as várias ideias que surgiram após a morte de Diógenes. Mas antes de colocar as ideias em prática, esse programa precisa de um nome, e o nome será “ VALE DE ALEGRIAS”, em homenagem ao nosso amigo DIÓGENES VALE.

Não esqueçam companheiros e companheiras:

Ø VALE a pena respeitar o próximo e suas diferenças;
Ø VALE a pena os procurar enxergar os problemas alheios e tentar ajudar;
Ø VALE a pena procurar entender quando alguém se isola em seu mundo particular;
Ø VALE a pena enxugar uma lágrima de angustia, mesmo que essa lágrima não seja nossa;
Ø VALE a pena dar o umbro para alguém chorar;
Ø VALE a pena doar 10 minutos do nosso tempo, para ouvir alguém que as vezes só precisa de atenção;
Ø VALE muito a pena ajudar o próximo, mesmo que seja com uma simples palavra de afeto e de respeito
Ø VALE a pena ser bom e justo, afinal serão nossas ações que dirão o que seremos amanhã diante do julgamento Deus.

Que nossos colegas de trabalho, amigos e familiares, possam viver em num VALE de bondade, de respeito ao próximo e de amor entre os povos, porque esse foi o desejo do meu amigo DIÓGENES VALE, que fez valer sua passagem pela terra, onde honrou familiares e amigos e sobre tudo, sua única filha, esposa e mãe.
Que todos os nossos colegas que nos deixaram descansem em Paz no VALE da vida eterna.

Nenhum comentário: