quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

POLÊMICA DA FALTA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO


Caros agentes de endemias de Natal, no dia 20/11/2012 em audiência com Ministério Público do Estado e Com o Procurador do, Dr. Xisto Thiago, foram estabelecido prazos para entrega de EPI e fardamento, quais sejam: Os protetores em 5 dias, as botas em 30 dias e 25 dias para entrega de calças, camisas e bolsas. Isso a contar do dia da audiência realizada dia 20. Além desses itens, ficou de ser resolvido o problema da falta de vale transporte, o que até a presente data nada se resolveu.
Com a intervenção do MP e MPT se tentou chegar a uma medida paliativa para os agentes retornarem ao campo, principalmente por que precisava-se fazer o LIRA. Foi proposto pela SMS a entrega de camisetas, tênis e protetor solar, até a chegada do fardamento definitivo, isso em dezembro, o que nada foi resolvido.
Agora em janeiro, quando deveria está sendo entregue o fardamento definitivo e demais materiais, é que a SMS entregou duas camisetas, botas e protetor, o que deveria ter sido entregue em dezembro.
Com as numerações das botas incorretas, sem material de trabalho e sem inseticida, os agentes da Zona Norte estão aflitos cobrando o posicionamento do SINDAS, pois só no Norte I e II o coronelismo impera com aval da coordenação do Programa dengue, uma vez que no Distrito Leste, Oeste e Sul a conversa é outra, existe coerência, profissionalismo e seriedade por parte dos servidores.
Muitos agentes nos ligaram querendo saber se é para ir trabalhar ou não com as condições atuais, mas dissemos que antes da reunião que solicitamos com Secretário de Saúde, não emitiremos nenhuma orientação. Queremos colocar o atual secretário a par de todos os problemas e dos verdadeiros motivos que só distancia a categoria de um consenso para voltar ao campo.
Estamos tendo cautela para proteger a categoria, pois na audiência no MPT o CCZ provocou o procurador se poderia punir quem se recusasse ir para o campo. O procurador disse que se a recusa não fosse por motivo razoável a SMS poderia adotar as medidas que achar melhor.
Para nós não é razoável ir para o campo sem as devidas condições de trabalho. Depois da reunião com secretário emitiremos uma orientação oficial e, se necessário, realizaremos uma assembléia. Mas tenham certeza que se até lá for tomada alguma medida punitiva abrupta tomaremos as medidas necessárias para proteger nossos associados.

TRECHOS DA ATA DA AUDIÊNCIA 20-11-2012

FONTE: Blog do SINDAS/RN

Nenhum comentário: