terça-feira, 22 de julho de 2014

SINDAS PODERÁ PUXAR INDICATIVO DE GREVE EM CAICÓ, SE O PISO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS E DE ENDEMIAS NÃO FOR PAGO NOS VENCIMENTOS DE AGOSTO DE 2014.

SINDAS PODERÁ PUXAR INDICATIVO DE GREVE EM CAICÓ SE PISO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS E DE ENDEMIAS NÃO FOR PAGO NOS VENCIMENTOS DE AGOSTO DE 2014.

A Lei Federal nº 12.994/2014, que estabeleceu o piso salarial de R$ 1.014,00 para os agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias, entrou em vigor dia 18 de junho de 2014, quando foi publicada no Diário Oficial da União.
Com os fundamentos na legislação do piso nacional dos agentes, protocolamos na Prefeitura de Caicó o ofício nº 129 datado de 22 de junho de 2014, pleiteando a implantação do piso da categoria a partir de 18/06/2014, bem como, que a matriz salarial dos agentes no plano de carreiras fosse corrigida.
Oficialmente a Prefeitura não emitiu nenhuma resposta, mas em diálogos com Prefeito Roberto Germano, foi informado que o pedido do SINDAS estava sendo analisado com cautela, por que o fato dos agentes que estavam desviados de função não estarem cadastrados no CNES, causará um impacto financeiro com piso salarial que será adimplido a mais de 40 ACS com recursos próprios.
O Prefeito nos informou ainda, que a recomendação Ministerial é para que todos os agentes em desvio de função retornem as suas atividades de ACS, com isso, o piso deverá se estender a todos, mesmo sem repasse do MS.
Soubemos extraoficialmente, que depois que o SINDAS enviou a solicitação de cumprimento do piso aos Municípios, muitos prefeitos se reuniram e pactuaram implantar o piso dos agentes a partir de agosto de 2014. Como a implantação do piso dos agentes a partir de agosto ainda não foi oficializado pelo Município de Caicó, não podemos ter falsas expectativas e relaxar. Pelo contrário, devemos estar mobilizados, unidos e organizados, para quem sabe, deflagrar uma greve se for necessário.
Além do piso nacional, outro ponto que não abriremos mão, é do pagamento de uma gratificação com recursos do Programa de Melhoria do Acesso a Qualidade da Atenção Básica – PMAQ-AB, pois desde o ano passado pleiteamos que fosse enviada à Câmara, a proposta de criação de uma lei, regulamentando o pagamento de um incentivo financeiro para todos os profissionais da equipe ESF comtempladas com o PMAQ. Sobre esse ponto de pauta, o SINDAS protocolou um projeto de lei, o qual até a presente data não foi submetido ao crivo do Legislativo Municipal de Caicó.
Da data que o SINDAS propôs o projeto de lei até hoje, a Prefeitura recebeu de PMAQ as seguintes quantias: R$ 10.200,00 em de janeiro de 2014, R$ 20.400,00 no mês de fevereiro de 2014, R$ 33.200,00 em abril de 2014, R$ 10.200,00 em maio e R$ 60.700,00 em junho de 2014.
Justificamos para o Prefeito que a criação de um incentivo a ser pago com recursos do PMAQ, garantirá a manutenção dos repasses, vez que, o atingimento dos indicadores preconizados pelo Ministério da Saúde é a garantia da manutenção do Programa. Uma vez não contemplados com uma fatia desses recursos, os servidores não se empenharão para atingir as metas do Programa e, consequentemente, poderá haver a perda total ou parcial de mais esse benefício financeiro repassado pelo Ministério da Saúde.
Na próxima semana nos faremos presentes em Caicó, para buscar respostas do Prefeito. Caso não seja oficializada a data a partir da qual será implantado o piso dos agentes, publicaremos um edital convocando os ACE e ACS, para aprovar um indicativo de greve em assembleia da categoria.
Sabemos que a Prefeitura precisa fazer algumas adequações na legislação e até mesmo financeira, mas não podemos permanecer aguardando uma resposta da Municipalidade, por um prazo desarrazoado, por que quando não se tem respostas, a categoria tem o direito de se mobilizar de forma organizada e, inclusive, entrar em greve, o que esperamos que não seja necessário, mas diálogo também tem limites.                   
FONTE: BLOG DO SINDAS/RN

Nenhum comentário: