quarta-feira, 22 de abril de 2015

SINDAS SE REÚNE COM MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARA DISCUTIR A QUESTÃO DO PONTO ELETRÔNICO

Na tarde desta quarta feira (22-04), nos reunimos com a Procuradora Federal Drª. Caroline Maciel, responsável pelas recomendações conjuntas para adoção de ponto eletrônico em todos os Municípios do RN.
A recomendação determina a adoção de ponto eletrônico para todos os servidores da saúde, inclusive os ACE e ACS. 
O objetivo da audiência foi levar ao conhecimento da Procuradora que o ponto eletrônico está atrapalhando o trabalho da categoria, ou seja, os agentes estão deixando de produzir para se deslocarem para bater ponto.
Além desse problema, esclarecemos ao Procuradora, que os agentes de saúde, diferente dos demais profissionais, têm como comprovar sua produtividade sem a necessidade de bater o ponto eletrônico 4 vezes ao dia.  
Informamos a Procuradora que a preocupação da categoria é com a redução de visitas e que a categoria não tem medo de ter seu produção controlada, porque isso já ocorre, devido aos inúmeros formulários e protocolos que a categoria usa.
Deixamos claro na reunião, que não temos nada contra o ponto eletrônico. Concordamos que o ponto eletrônico vem para moralizar o serviço público. Concordamos que o servidor receba pelo que produz, mas receber para se descolar dar no mesmo.
 A Procuradora afirmou que está sensível ao Pleito do SINDAS e que irá mediar junto ao Ministério Público Estadual uma saída. Disse que o principal objetivo da adoção do ponto eletrônico é acabar com a evasão de médicos nos municípios.  
A Procuradora nos autorizou ligar pra ela já na segunda feira, para saber como foi o diálogo com os demais Procuradores Federais das regionais e com Ministério Público Estadual.
Saímos da reunião confiantes, principalmente porque A Procuradora pediu nossa ajuda para denunciar o descumprimento da carga horária de outros profissionais.
De antemão sugerimos que os agentes comunitários de saúde e de endemias fossem excluídos da obrigação de bater ponto eletrônico, mas a Procuradora disse que não é possível, mas que pode se buscar uma saída emergencial, inclusive, solicitou sugestões da nossa parte.
Sugerimos que os agentes batam o ponto no início e término do expediente, caso ocorram problemas isolados, buscaremos uma saída conjunta.
No nosso ponto de vista demos um grande passo na defesa dos agentes de saúde de todo Rio Grande do Norte, porque essa questão de ponto eletrônico tem afligido todos os agentes de saúde do RN.
IMAGENS: CARLOS ALEXANDRE

Um comentário:

Anônimo disse...

O ponto deve ser batido indiferente da categoria