segunda-feira, 2 de abril de 2012

GREVE LEGAL É GREVE BEM PLANEJADA E COM PAUTA


NOTA A IMPRENSA POTIGUAR

O Sindicato dos Agentes de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte convocou todos os agentes comunitários de saúde e de endemias, para nesta terça feira (03/04) às 8h, reunirem-se em assembléia extraordinária na Praça Sete de Setembro ao lado da Assembleia Legislativa, para aprovar a pauta de reivindicações e votar o indicativo de greve da categoria, conforme edital publicado no JH de 31 de março do corrente ano. 

Um dos principais pontos de pauta é a falta de fardamento, falta de pagamento de insalubridade, a péssima qualidade do protetor solar que está sendo distribuído aos nossos agentes, a falta de vales-transportes, o não cumprimento da data base em março, entre outros pontos.

É importante ressaltar que os agentes de saúde são os únicos servidores que não têm reajuste desde 2009, época em que a Prefeita concedeu um reajuste de 52% prometido em campanha. Foi à única categoria que entrou no Plano de Cargos sem nenhuma diferença salarial e são os únicos servidores que trabalham de sol a sol dois expedientes expostos aos mais diversos riscos.

Os agentes comunitários estão há mais de 3 anos sem receber fardamento e sem calçados, já os agentes de endemias improvisam para fazer as visitas, com fardamentos de todos os tipos, inclusive camisetas de campanhas de vacinação, o que, diga-se de passagem, dificulta a entrada dos agentes nos domicílios e facilita a ação de bandidos disfarçados. Muitos estão recebendo salário para cumprir expediente nos pontos de apoio e no CCZ, simplesmente por falta de condições de trabalho. Além de todas essas dificuldades, os supervisores, sua maioria agentes de endemias municipais, estão sem condições de dar suporte técnico aos agentes da equipe, pois lhes faltam condições de deslocamento porque o Programa Municipal de Controle do Dengue-PMCD sofre um verdadeiro sucateamento.

Queremos deixar claro, que se aprovado o indicativo de greve, o movimento é LEGÍTIMO E APOLÍTICO, pois ao mesmo tempo em que reconhecemos os avanços que a categoria teve na atual Gestão, não podemos fechar os olhos e nos omitirmos diante dos mais diversos erros. Temos 10 pontos que legitimam o direito de greve e um dos principais é a falta de condições seguras ao meio ambiente de tramalho, fator esse, que só vem prejudicando os profissionais e a população que fica desassistida.

Decretada a greve, manteremos 30% dos agentes trabalhando e seguiremos rigorosamente a Lei de Greve, para evitarmos façanhas jurídicas que questione o movimento. A começar do edital e da notificação ao empregador que será feita e respeitado intervalo de 72h até a decretação da greve.  Estamos tomando essas cautelas porque o SINDAS detém a representação legal dos agentes de saúde, mas deflagrada a greve o movimento será unificado com os demais servidores que já encontram-se paralisados.

A nossa maior preocupação com a decretação da greve, é sem dúvida, a possível epidemia de Dengue que indiretamente já vem sendo anunciada. Além do problema da dengue com a paralisação dos agentes de endemias, os comunitários paralisando suas atividades, causa um verdadeiro caos nos postos de saúde, onde sem os agentes não funciona a contento. Dependendo do tempo de paralisação, até os programas sociais são prejudicados, a exemplo do Bolsa Família, que sem os agentes comunitários não seria possível, pois são eles que estão diariamente fazendo a buscativa de informações e abastecendo o banco de dados nacional.

“Esperamos respeito ao nosso direito de greve por parte da Gestão Municipal, pois nunca saímos às ruas para pleitear o que não é justo, mas esperamos principalmente a resolução dos problemas, pois nem os agentes e muito menos a população, podem pagar por erros que já deveriam ter sido resolvidos, tampouco por incompreensão administrativa de não conceder o que está garantido em lei”.

Natal, 02 de abril de 2012.
Cosmo Mariz de Souza Medeiros
SECRETÁRIO DO SINDAS/RN

EDITAL DA ASSEMBLÉIA PARA INDICATIVO DE GREVE 

Nenhum comentário: